sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Da inveja

Minhas ilusões de ser escritor agonizavam a cada noite... Eu ficava até a madrugada começando novos romances que deixava pelo meio do caminho, desiludido por meu talento e minha preguiça. Outros escritores da minha idade obtinham considerável êxito no país e até prêmios no estrangeiro. (...) A inveja, mais que um estímulo para algum dia terminar um trabalho, operava em mim como ducha fria.


Antônio Skármeta. In: O Carteiro e o Poeta


Nenhum comentário:

Postar um comentário