quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Lembra-te

Quando o acaso ou o costume, daqui a muitos anos,
te trouxerem de novo a este lugar, se fores vivo, e a vida
for para ti apenas recordação esvaída
de antigos dias, lembra-te de que houve tempo
em que as coisas, milagrosamente, foram de outro modo:
lembra-te que este jardim hoje
te ofereceu a sua paz, as roseiras
em flor, o sol que te acompanha
e que te ajuda com sua luz frouxa
a ser ditoso e a saber-te jovem.




Eloy Sánchez Rosillo. In: Páginas de um diario


Um comentário:

  1. Grande paz e cheirosas roseiras! Lembranças mui validas de Salvador ;)

    ResponderExcluir