quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Venturosa de sonhar-te


Venturosa de sonhar-te,
à minha sombra me deito.
(Teu rosto, por toda parte,
mas, amor, só no meu peito!)
-Barqueiro, que céu tão leve!
Barqueiro, que mar parado!
Barqueiro, que enigma breve,
o sonho de ter amado!
Em barca de nuvem sigo:
e o que vou pagando ao vento
para levar-te comigo
é suspiro e pensamento.
-Barqueiro, que doce instante!
Barqueiro, que instante imenso,
não do amado nem do amante:
mas de amar o amor que penso!


Cecília Meireles

2 comentários:

  1. Olá, Naty!

    Amei o seu blog, muito poema de bom gosto...

    Estava procurando na net um poema do Mia Couto, e acabei chegando até vc. Já te sigo, pq gostei muito daqui!!

    Beijosss

    ResponderExcluir
  2. Querida, voltei!!!

    Creio que nada é por acaso mesmo, veja só: te conheci ontem, e hoje volto aqui para convidá-la a participar de uma brincadeira no Espaço Aberto, gente da melhor qualidade!!!

    O endereço é

    http://um-blog-para-todos.blogspot.com/

    Venha conosco, Naty, que vc vai gostar, além de fazer ótimos amigos...
    Não deixe de vir, diga que é minha convidada.

    Beijos!

    ResponderExcluir