sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Quase como uma primavera

Sentia uma alegria interna, quase como uma primavera. E a alegria crescia, expandindo-se em muitas direções, tomando conta das mãos, dos olhos, já transcendia o pensamento para se apossar do corpo inteiro.

Caio F. Abreu. A Chave e a Porta. In: O inventário do ir-remediável

Nenhum comentário:

Postar um comentário