quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Êxtase Puríssimo

Às vezes sentava-me na rede, balançando-me com o livro aberto no colo, sem tocá-lo, em êxtase puríssimo. Não era mais uma menina com um livro: era uma mulher com o seu amante.


Clarice Lispector. In: Felicidade Clandestina

Um comentário: