sábado, 1 de agosto de 2009

E o essencial?

[...] As pessoas grandes adoram os números. Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. Não perguntam nunca: “Qual é o som da sua voz”? Quais os brinquedos que prefere? Será que ele coleciona borboletas? “Mas perguntam”: “Qual é sua idade? Quantos irmãos tem ele? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?” Somente então é que elas julgam conhecê-lo. Se dizemos às pessoas grandes: "Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado...” elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma ideia da casa. É preciso dizer-lhes: “Vi uma casa de seiscentos contos”. Então elas exclamam: “Que beleza! [...]


Antoine de Saint-Exupéry. In: O Pequeno Príncipe


Nenhum comentário:

Postar um comentário